10 de mai de 2009

2008 - CARGA TRIBUTÁRIA BRASILEIRA

Carga tributária brasileira chega a 36,56% do PIB, em 2008.

Crescimento de arrecadação, em comparação a 2007, foi de 14,43%, correspondendo a R$ 133,26 bilhões arrecadados a mais, com previsão de queda em 2009.


Estudo feito pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário – IBPT revela que a carga tributária brasileira, em 2008, chegou a 36,56% do Produto Interno Bruto – PIB, com um montante arrecadado no ano de R$ 1,056 trilhão sobre o valor do PIB, que ficou em R$ 2,889 trilhão. No mesmo período, cada brasileiro pagou aproximadamente R$ 5.572 em impostos, com um aumento de R$ 652 sobre os valores pagos em 2007.



O crescimento da arrecadação Federal foi de R$ 88,70 bilhões (13,63%), dos Estados R$ 36,55 bilhões (15,66%) e dos municípios R$ 8,02 bilhões (20,64%), crescimento que gerou acréscimo de 13,24% na carga tributária Per Capta de 2008. O estado que teve maior aumento de arrecadação federal em 2008 foi o Mato Grosso do Sul, cujo crescimento foi de 38,49% comparando a 2007, e o único que apresentou queda de arrecadação foi o Distrito Federal, com menos 6,43%. Já a arrecadação do ICMS apresentou crescimento médio de 18,44%, sendo que o Amazonas apresentou crescimento de 24,45% e Amapá apresentou diminuição deste imposto de 62,38%.



A previsão do IBPT para o primeiro semestre de 2009 é de que haverá queda na arrecadação tributária. De janeiro a junho de 2008 foram arrecadados R$ 516,07 bilhões, e para o mesmo período deste ano, prevê-se que a arrecadação fique por volta de R$ 505 bilhões, com queda nominal de 2% e queda real (IPCA) em torno de 7%, representando R$ 35 bilhões a menos no caixa dos governos. “Se isto se confirmar, será a primeira vez desde 2003 que a arrecadação tributária cai no primeiro semestre do ano, fato que nos últimos 20 anos ocorreu apenas em 1991, 1992,1996 e 2003”, enfatiza o tributarista e presidente do IBPT, Gilberto Luiz do Amaral.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou desta dica? Divulgue para seus amigos. Envie suas sugestões. Nos envie informações para melhorar ou ampliar esta dica. Esperamos sua participação.