24 de mar de 2009

Um planejamento estratégico minimalista

A pessoa previdente tem o seu plano estratégico bem preparado e sempre à mão. Use este artigo como um pequeno checklist para testar a consistência do seu. Se você não tem, considere montar um.


"A única certeza do planejamento, é que as coisas nunca saem como planejado"
– Lucio Costa

Avalie o quanto o planejamento de sua empresa é bom, comparando seu plano estratégico com os tópicos deste artigo.

O quê? Você não tem plano estratégico? Então, aproveite este artigo e prepare o seu. Pergunte–se se o seu plano estratégico:



Define claramente o objetivo principal

Essa é a parte central de qualquer planejamento. Ainda assim, você ficaria impressionado com a quantidade de pessoas e empresas que não tem objetivos definidos claramente.

Escreva no papel exatamente onde você quer chegar e quando quer chegar lá. Por exemplo, "Quero ser promovido em seis meses".

Hmmm, talvez você prefira algo mais excitante, como "Quero comprar minha casa própria em dois anos" ou "Desenvolver um produto que fature cinco milhões de dólares em quatro anos".

Seja o que for que você queira alcançar, não importa, desde que seja algo por que tenha paixão. Querer é poder.

Pegue uma folha em branco ou um abra um novo documento de texto e escreva ou digite seu objetivo, para torná–lo mais concreto. Escolher onde se quer chegar, é o começo do planejamento.

Detalha os passos para atingir este objetivo, de forma que todas as pessoas que devam ler o plano possam entendê–lo

Este detalhamento deve ser breve para garantir o sucesso do plano. Se você esticar demais pode tornar seu plano confuso.

Uma dica: desmembre o objetivo principal em metas necessárias para alcançá–lo e descreva como atingir cada meta, em detalhe.

No caso de um sumário executivo, pode se estender por uma página, no máximo, evitando cansar o leitor.

Pense quem são as pessoas que devem ler o seu plano e imagine como descrevê–lo de forma que seja possível a todos compreendê–lo.

Não precisa tentar passar uma imagem de erudição, que isso pode agir contra você. Quanto mais simples e objetivo seu plano, mais fácil será para outras pessoas entendê–lo, concretizá–lo e atingir o sucesso.

Inclui todos os custos antecipadamente

"O lucro está na compra", disse Robert Kiyosaki e ele acertou em cheio. Quanto menores os custos, mais barato o produto final, que então vende mais.

Faça a lição de casa e levante todas as despesas que seu projeto vai exigir. Durante essa fase você pode descobrir que o plano é inviável do jeito que está e poderá fazer os ajustes necessários.

Além disso, qualquer investidor vai querer saber quanto de seu rico dinheirinho terá de arriscar.

Faz um relato convincente de que a recompensa vale o risco

É hora de jogar todo seu charme e conquistar o parceiro. Demonstre o seu entusiasmo sem exagerar. Apele para o emocional, mas faça–o de forma profissional e racional, usando o senso comum.

Esta é a hora de dizer quanto se ganha com este plano. E como se pretende chegar lá.

Delineia a forma de medir o sucesso e avaliar a performance

Explique como vai fazer para medir os resultados. Que método servirá para dizer se o plano está indo bem ou se precisa de ajustes de percurso.

Sim, as avaliações são suas aliadas, ajudando a perceber os equívocos do plano. Você poderá aproveitar para fazer as mudanças necessárias, indicadas pelo acompanhamento. Portanto, explique o que será feito e como serão feitos o acompanhamento e controle do seu plano.

Comece ou termine com um resumo objetivo – um que possa ser repetido de memória facilmente


Nunca se sabe quando vai surgir a oportunidade de apresentar o seu plano. Pode ser numa reunião de negócios, numa festa, na rua. Mas você precisa de um gancho para usar quando a oportunidade surgir.

Use este gancho no seu planejamento.

Se puder, coloque os resumos no início e no final do plano (resumos diferentes, obviamente). Leia–os para si em voz alta e responda:

Faz sentido?

Explica o projeto?

Causa entusiasmo?

Quando a resposta for sim a estas perguntas, seu resumo(s) está pronto.

E aí está. Não dá pra esgotar um assunto tão vasto em um espaço tão pequeno, mas é um bom começo.

Poucas pessoas têm noção da importância de um planejamento estratégico efetivo. A maioria prefere dizer que não tem tempo para planejar. E sabe por que não tem tempo? Porque não planejam.

As pessoas de sucesso dedicam parcela expressiva de seu tempo ao planejamento. Não que sejam presas de seus planos mirabolantes, mas também não se deixam levar como a uma folha ao vento.

A palavra estratégia vem do Grego e quer dizer, 'arte do general', porque antigamente os generais se posicionavam nas partes mais altas do campo de batalha para poder ter uma visão mais ampla e assim planejar suas ações.

Não é à toa que a maior obra sobre estratégia tenha mais de 5.000 anos. Chama–se 'A arte da guerra', do General Chinês, Sun Tzu. Vale a pena ler, principalmente se pensar que a obra foi escrita há milênios e portanto deve ser adaptada aos nossos tempos e ao nosso atual território de batalhas: os negócios.
O que você viu são os principais tópicos a serem considerados, ao se criar um plano estratégico, tanto se você pretende apresentá–lo a um investidor como se for apenas para botar no papel, o papel da sua empresa.

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou desta dica? Divulgue para seus amigos. Envie suas sugestões. Nos envie informações para melhorar ou ampliar esta dica. Esperamos sua participação.